COMO TRANSFORMAR BOAS IDEIAS EM PRODUTOS

Quantas vezes você já teve uma ideia que parecia genial, ficou empolgado, mas depois não soube como colocá-la em prática e deixou para lá?

Isso é bem comum acontecer. E é comum também a gente ver aquela ideia que aposentamos – que parecia tão inédita – ser colocada em prática por alguém um tempo depois, matando a gente de raiva! Qual a diferença entre você e aquele cara que conseguiu transformar a mesma ideia em um produto promissor?

A execução. Ele executou.

Neste artigo quero compartilhar algumas dicas de como você pode transformar sua ideia num produto. Eu trato disso com mais profundidade no livro que estou lançando em agosto: Versão Beta – Decida ser incrível!

Dica 1: Compartilhe sua visão, mas filtre os feedbacks

Para que você possa tirar uma ideia da cabeça e testar seu potencial comece por compartilhá-la com pessoas que você acredita que possam lhe dar feedbacks sinceros. Compartilhe com amigos da área, com outros empreendedores que já tenham desenvolvidos produtos, com sua audiência, com mentores que você confia, mas esteja pronto para ouvir. Ouça todos com atenção, porém, filtre as opiniões para não ficar mais confuso que confiante. Não tome opiniões por verdades e – a não ser que você seja desencorajado por bons argumentos – continue acreditando em sua visão.

Dica 2: Seja prático e valide sua ideia

Crie algo que possa resolver um problema prático do cotidiano das pessoas. Valide a primeira versão da solução, o mínimo produto viável (MVP), com uma parcela pequena do seu público-alvo. Deixe sua audiência usar, consumir e colaborar com você. O melhor feedback será, sem dúvida, das pessoas para quem você está criando o seu produto.

Se sua ideia for validada neste micro-ambiente, você deve aprimorá-la e entender como escalá-la para atingir o mercado que almeja.

Dica 3: Entenda seu Contexto

Nova versão desenvolvida, está na hora de avaliar o contexto do mercado onde essa inovação estará inserida. Analise todas as variáveis do mercado para definir como vai introduzir seu produto nele. Não espere, porém, pelo momento ideal ou pelo planejamento perfeito. Trace um plano, a partir dos recursos que dispõe, e divida seu projeto em fases. Comece a executar definindo como vai sair do ponto A e chegar no ponto B (e não no Z!). Importante: o ponto B não pode ser tão distante que você não possa alcançar, e nem tão próximo que não lhe desafie.

Dica 4: Entenda quais são seus recursos

Ao começar executar você vai desenvolver estratégias para levantar os recursos necessários às próximas fases do projeto, passo a passo. Além de quanto dinheiro você tem para prosseguir, outros recursos são igualmente importantes:

Quem são as pessoas que você já pode contar nessa fase do projeto (time, fornecedores, potenciais compradores, mentores, investidores)?

Quanto tempo você precisa para chegar do ponto A ao B?

Quais os conhecimentos que você detém e quais precisa desenvolver?

Quais habilidades você possui e quais vai ter que agregar ao projeto ao montar seu time?

Qual seu repertório de vivências que irão lhe ajudar a desenvolver as premissas, construir a visão e embasar suas decisões?

Dica 5: Tenha um time com forças complementares

Você precisa ter claro seus valores e seu time precisa refletir esses valores, precisa ser multidisciplinar, com diferentes habilidades, diferentes capacidades. Porque onde há diversidade há questionamento, onde há questionamento há complementariedade e mais entrega de valor. É justamente os pensares diferentes que vão criar um produto melhor.

Encontrar pessoas com os mesmos valores, forças complementares e que acreditem no que você está fazendo é um dos segredos para se alcançar o sucesso.

Dica 6: Mensure seu progresso

O progresso financeiro é importante, claro. Mas, você deve mensurar outros tipos de progresso durante o desenvolvimento de seu projeto. É preciso ampliar a percepção de progresso para conseguir enxergar a evolução de nossas ideias e não desanimar. O tempo de maturação de um produto é variável, mas é necessário ter paciência para fazer acontecer. Para mensurar seus progressos, crie indicadores de médio prazo, mas também indicadores de curto prazo, de preferência semanais, que vão lhe dar a exata noção dos avanços que alcançou. Vibre com cada conquista na jornada e vá moldando seu plano de acordo com o comportamento de sua audiência.

Estas dicas podem ajudar você a transformar aquela ideia em um produto viável, antes que alguém o faça. Considere ainda, como uma lição básica, essa outra dica que Mark Zuckerberg nos ensina, com muita propriedade:

“Eu acho que uma regra simples de negócio é, se você fizer as coisas mais fáceis primeiro, então você pode realmente fazer um monte de progresso”.

Em breve, vou escrever outro artigo para conversarmos sobre o próximo desafio: como transformar o seu produto num negócio de sucesso. Passo a passo, se chega lá, porém, não se esqueça de que é preciso pensar a longo prazo. Eu tenho uma máxima que me acompanha em todas as coisas que realizo e quero compartilhar com você: a vida é uma maratona, e não uma corrida de 100 metros!

HandsOn!

Rodrigo Barros

Empreendedor e comunicador

#versãobeta #handsOn

Add Your Comment